Perfis comportamentais e seus estilos de liderança

Como existem perfis diferentes, existem também estilos de liderança mais específicos de cada um deles, a saber:



1. Liderança por comando e prazos (Perfil Deliberado)

a) Principais características e pontos fortes como líder:

Possuem facilidade e naturalidade para comandar pessoas com autoconfiança e posicionamento firme;
São determinados e focados nos objetivos e prazos a serem cumpridos e, por isso, possuem um senso de urgência aguçado e costumam imprimir um ritmo mais acelerado para si mesmo e para a sua equipe;
Também preferem tomar suas decisões de forma rápida e mais individual;
São exigentes, questionadores e possuem senso crítico apurado que facilita encontrar falhas e problemas;
Gostam de inovações e lidam bem com mudanças e situações de pressão;
São mais ousados e dispostos a correr riscos fazendo análises rápidas com critérios racionais e pragmáticos;
Podem alcançar um equilíbrio entre qualidade e velocidade para chegarem ao padrão exigido sem requerer muito tempo;
Quando otimistas, seu ritmo e energia podem motivar a equipe.

b) Possíveis comportamentos a serem trabalhados:

Costumam ser mais enérgicos e podem agir com agressividade ou intimidação para alcançar seus objetivos;
Podem imprimir um ritmo muito acelerado e agir com impaciência, impulsividade e nervosismo;
Tendem a ser inflexíveis e fechados para as opiniões alheias, podendo passar a imagem de um líder individualista que não pensa no grupo;
Podem ser muito rígidos, dominadores e exigentes, apresentando atitudes autoritárias;
Por serem questionadores e críticos, podem se concentrar muito nas falhas e problemas do grupo, esquecendo-se de reconhecer e valorizar os acertos;
Podem agir com certa intolerância e insensibilidade às necessidades e sentimentos alheios, podendo desmotivar a sua equipe;
Quando intolerantes e intimidantes, podem impedir que seus liderados lhe peçam orientações e lhe façam críticas construtivas e valiosas;
São ambiciosos e podem agir com excesso de competitividade;
A falta de paciência com pessoas mais lentas pode fazer com que eles(as) centralizem muitas atividades para que as coisas aconteçam da forma rápida que eles(as) valorizam;
O ritmo muito forte, quando acompanhado do descuido em relação aos seus limites físicos e psicológicos, pode levar ao estresse e influenciar negativamente o grupo.



2. Liderança por conexão e diálogo (Perfil Influenciador)

a) Principais características e pontos fortes como líder:

Costumam liderar de forma mais descontraída, positiva e liberal;
Buscam estabelecer uma conexão e desenvolver uma relação de influência positiva com os seus liderados;
Buscam melhorar os resultados da equipe valorizando o diálogo como forma de aproximar o grupo e solucionar possíveis ruídos nas relações interpessoais;
Possuem uma facilidade nata para motivar sua equipe com dinamismo, otimismo e entusiasmo;
O seu dinamismo tende a melhorar o ritmo e a aumentar a velocidade de seus liderados;
Não apresentam dificuldades para delegar ações, preferindo delegar aquelas que exijam mais concentração e atenção aos detalhes;
Se encarregam de deixar os ambientes mais positivos e de promover atividades em grupos para agregar e aproximar os membros da equipe;
São extrovertidos, ótimos argumentadores e possuem facilidade para convencer e influenciar seus liderados;
Costumam levar em consideração os aspectos emocionais e os sentimentos de seus liderados em suas decisões;
São mais intuitivos e possuem facilidade para gerenciar possíveis situações imprevistas e lidar com mudanças não planejadas.

b) Possíveis comportamentos a serem trabalhados:

Por serem descontraídos e bem-humorados, podem exagerar nas brincadeiras e ter atitudes inconvenientes;
Tendem a exagerar no diálogo e podem passar a imagem de um líder que conversa muito e age pouco;
Podem não saber separar a hora de ser mais amigável e tratar de assuntos pessoais, do momento de ter uma postura mais séria e tratar dos assuntos relacionados ao trabalho ou aos negócios;
Podem ter dificuldades para completar ou analisar os relatórios e documentos necessários para o acompanhamento dos indicadores e o bom controle dos processos de gestão;
Podem exagerar na emotividade e ter atitudes, às vezes, incoerentes. Do mesmo modo, tendem a ser mais impulsivos e intuitivos, podendo faltar reflexão e um pensamento mais racional em sua tomada de decisões;
Por manterem o foco nas pessoas, nos relacionamentos e nas atividades sociais, podem lhe faltar disciplina, organização e o foco no planejamento e nas ações a serem executadas;
Tendem a não prestar muita atenção nos detalhes e na observância dos processos que podem fazer a diferença para garantir a ordem e o melhor desempenho da equipe;
Possuem dificuldade para serem mais específicos e podem deixar seus liderados confusos sobre o que e como fazer;
Tendem a perder a paciência com rotinas e situações que não são de seu interesse.



3. Liderança por consenso e orientações (Perfil Sensato)

a) Principais características e pontos fortes como líder:

São mais abertos às opiniões de seus liderados e tomam suas decisões de forma mais compartilhada. Desse modo, são maiores as possibilidades de participação e co-criação, situação que contribui para que o grupo se sinta mais valorizado;
São mais conciliadores, valorizam a harmonia no grupo e o trabalho em equipe, contribuindo para a ocorrência de atitudes mais colaborativas;
São mais prestativos e tolerantes com as falhas de seus liderados. Portanto, possuem mais paciência para reorientar e acompanhar a execução das tarefas e evitam que eles sintam receio de solicitar esclarecimentos ou pedir ajuda;
São equilibrados e raramente agem com impulsividade ou autoritarismo. Dessa maneira, costumam criar um ambiente mais pacífico e seguro que os aproxima de seus liderados;
Tendem a cativar sua equipe com sua natureza acolhedora, atenciosa e frequentemente disposta a ajudar;
São bons ouvintes e possuem uma maior capacidade de se colocar no lugar de seus liderados, compreendendo melhor suas dificuldades, sentimentos e necessidades;
Possuem facilidade para aconselhar e passar a sua experiência e conhecimentos com paciência e dedicação;
Frente aos possíveis desafios ou adversidades, costumam reagir com mais equilíbrio e ser perseverantes;
Gostam de fazer planejamentos com orientações claras e de construir métodos que contribuam para o bom direcionamento da equipe, evitando dúvidas e erros processuais.

b) Possíveis comportamentos a serem trabalhados:

Tendem a ser mais passivos e a ter dificuldades para liderar com mais firmeza quando necessário. Por isso é provável que não se sintam à vontade para corrigir pontualmente os comportamentos negativos de seus liderados;
São mais previsíveis e rotineiros, podendo cair em uma monotonia que, com o passar do tempo, tende a desestimular a sua equipe, principalmente se ela for composta por pessoas mais dinâmicas.
Tendem a ser mais permissivos, complacentes e podem acabar perdendo o controle de comportamentos abusivos que, por sua vez, podem gerar um sentimento de injustiça nos liderados mais comprometidos e cumpridores de suas obrigações;
São mais conservadores e menos ambiciosos e, por isso, podem ficar mais acomodados com a situação atual e não estipular novos desafios para si mesmo e sua equipe;
Tendem a impor um ritmo constante para si mesmo e sua equipe. Entretanto, se sua tranquilidade, hesitação e preocupação com as necessidades alheias estiverem em excesso, acabam contribuindo para que as coisas aconteçam de forma mais lenta;
São mais introspectivos, contidos e, principalmente em situações de conflito, tendem a reprimir seus sentimentos e ponto de vista;
Se sua dependência ou preocupação com as opiniões alheias forem muito constantes ou exageradas, podem lhe faltar, quando necessário, mais iniciativa própria com tomada de decisões mais rápidas e individuais;
Podem ficar muito presos a orientações, planejamentos e métodos, perdendo a oportunidade de agir com mais rapidez e dinamismo.



4. Liderança por controle e especificações (Perfil Crítico)

a) Principais características e pontos fortes como líder:

São mais autodisciplinados, sérios e se concentram nas tarefas e atividades relacionadas ao trabalho, esperando a mesma atitude de seus liderados. Desse modo, costumam criar ambientes mais formais e se incomodam quando seus liderados perdem o foco ou exageram na descontração;
São mais racionais, cautelosos e preferem tomar suas decisões baseadas em fatos concretos e com segurança. Assim, acabam evitando riscos não calculados e desnecessários;
Possuem um pensamento lógico e estruturado com uma capacidade analítica acima da média para conduzir projetos de maior complexidade, encontrar falhas, solucionar problemas e revisar os trabalhos, propostas e relatórios entregues por seus liderados;
São mais habilidosos, precisos e possuem padrões elevados de qualidade. Portanto, acabam exigindo o mesmo de seus liderados que, por sua vez, passam a se preocupar mais com os detalhes e com a exatidão de seus trabalhos e tarefas;
São mais cuidadosos, organizados e específicos. Dessa forma, evitam possíveis maus entendimentos, erros e atrasos em decorrência da falta de controle, preparo, logística, sistematização, ordenação e clareza nas orientações.

b) Possíveis comportamentos a serem trabalhados:

Tendem a ser muito sérios, retraídos, calados, não são de conversas alongadas e costumam desenvolver relacionamentos mais próximos. Dessa forma, podem passar uma imagem de um líder mais distante e frio com seus liderados;
São mais perfeccionistas e tendem a ser mais sistemáticos e muito presos às regras, regulamentos e métodos. Desse modo, acabam impondo um ritmo mais lento para si e sua equipe e podem perder a oportunidade de serem mais objetivos e contribuir para a entrega de resultados mais rápidos e bons o suficiente;
Podem exagerar na cautela e ter dificuldade para tomar decisões rápidas e arriscar quando necessário. Assim, esse ritmo mais lento com excesso de cuidados e detalhes, juntamente com seu jeito mais retraído de ser, podem gerar desmotivação no grupo, principalmente se ele for composto por pessoas mais dinâmicas ou descontraídas;
Tendem a ser mais rígidos e muito exigentes consigo mesmo e com os seus liderados. Desse modo, podem acabar desmotivando o grupo por focar muito nas falhas e deixar de valorizar os acertos;
O seu alto nível de exigência pode fazer com que esses líderes consciente ou inconscientemente, carreguem consigo o slogan “Se você quer as coisas bem feitas, faça você mesmo”. Isso pode gerar uma liderança mais centralizadora com dificuldade para delegar tarefas;
Tendem a querer controlar tudo o que está sendo feito por seus liderados e impor o seu jeito de fazer as coisas. Portanto, acabam tirando a autonomia e liberdade deles e, consequentemente, desmotivando-os e diminuindo a sua produtividade.


E aí, você já se identificou em algum destes estilos? Ou então se você ainda não é líder – e nem gestor – conseguiu ver o seu diretor, gerente ou coordenador nestas características? Fez sentido para você? Foi um pouco longo, é verdade, mas retrata muito bem as tendências de comportamentos, positivos e negativos de cada perfil enquanto líder.


Um ponto muito importante, além do fato de tudo isso significar apenas tendências comportamentais, é que nem sempre o seu estilo de liderança está diretamente alinhado com seu perfil comportamental. Sim, parece estranho, mas é plenamente possível, principalmente para aqueles profissionais que estão em algum tipo de transição profissional, ou então ingressando em uma posição de liderança, ou ainda aqueles que estão em encerramento da carreira.

Data de Publicação: 11/04/2020

Autor: https://www.rhthink.com.br